Reflexão Sobre “Atalhos” na Formação do Naturologista Clínico.


SOBRE PROPOSTAS DE CURSILHOS OPORTUNISTAS DE

FORMAÇÃO DE TERAPEUTAS

Estou em 22/07/2018 ao escrever este texto de reflexão e aconselhamento.

Recebi de seis estudantes de nossa Turma de Maceió a pergunta sobre uma “suposta formação” de um minicurso ou simpósio que tem duração de 15 dias e que permite a alguém abrir um consultório e começar uma carreira de terapeuta. Parece ser alguma coisa na área de Coaching de Saúde!

De saída fiquei me perguntando: como uma coisa como esta pode ser sequer considerada seriamente por alguém que faz tal proposta, sem considerar seriamente que, com toda certeza, este tipo de coisa vai acabar gerando um problema enorme na Justiça?

Sim, porque quem poderá propor isto, por exemplo, diante do direito do consumidor ou do Ministério Público e achar que a “saúde pública” será conivente com uma coisa destas?

Não existem atalhos na carreira de um profissional de elevada estatura! Pelo contrário, quando terminar o Curso de Naturologia Clínica, virão novos voos em níveis maiores de composição (Mestrado, Doutorado) – toda uma plataforma de formação foi organizada e está sendo composta para atender a um Projeto de médio-longo prazo!

Imagine um Enfermeiro, um Psicólogo, um Médico, um Fisioterapeuta, um Assistente Social (etc.) aceitar uma coisa destas como sendo normal – sendo que a formação deles leva entre 4 e 6 anos!

As formações que poderiam ser colocadas como paralelas à nossa são: Psicanálise Clínica (2 anos); Gestão em Saúde (2 anos); Quiropraxia (2 anos); Fitoterapia (2 anos).

O próprio Curso de Coaching, onde foi criado está longe, muito longe de qualquer destas propostas feitas pelos líderes brasileiros do setor. Por exemplo? Paulo Vieira, que é endeusado em muitos ambientes como “um mestre”, na verdade, passou 4 anos da vida estudando Coaching na Florida Christian University, depois fez Mestrado, Doutorado e Pós-Doutorado na mesma instituição. Eu sou amigo pessoal do Prof. Ricardo Monteiro, Embaixador desta entidade no Brasil (sediada em João Pessoa – PB) e conhecido do Dr. Anthony Portigliatti, com quem estive em duas oportunidades em eventos do ensino superior ocupando a bancada ao lado deles – a FCU (Universidade citada) tem um amplo Projeto Acadêmico que, sujeitos como Paulo Vieira e um bocado de outros foram buscar para imprimir oportunamente numa carreira séria e de elevada performance. A credibilidade de Paulo Vieira (neste exemplo) seria bem menor sem esta formação – UMA FORMAÇÃO QUE LEVOU EM TORNO DE 8 ANOS de Academia.

Por que em Terapias Naturais (Naturopatia Científica / Naturologia Clínica) seríamos diferentes?

Mas eu pergunto: você levaria um filho seu a um “profissional” que teve 15 dias de formação numa área que se propõe cuidar da saúde do povo?

Isto é para ser levado à sério mesmo?

Em 15 dias o sujeito tem domínio de fisiologia, patologia, terapêutica e ética profissional?

De saída considerei este tipo de coisa uma brincadeira ou um mal entendido – mas, diante de 6 contatos numa turma de 42 pessoas, este número chegou a 14% da classe inteira – e acredito que 100% da turma deve ter recebido este tipo de sugestão ridícula e que se for realmente desta estirpe não poderá prosperar.

Uma coisa é fazer um minicurso de vivência, de agregação de valor, de uma experiência para acrescentar uma visão diferenciada ou abordagem de campo num “painel expositivo” – agora, SER UM PROFISSIONAL em 15 dias?

Isto é um insulto à inteligência de qualquer profissional de qualquer área da saúde!

Imaginem que para ser Naturopatia Científica, há mais de duas décadas temos o seguinte suporte:

  • Temos 22 anos de história na formação de Naturologistas (será que sabemos alguma coisa sobre princípios teóricos, dinâmicas práticas, zelo profissional e respeito à toda categoria no Brasil?);
  • Temos um Sindicato: sinaten.com.br;
  • Temos uma Associação: agonab.com.br;
  • Temos uma Faculdade conforme está claramente enunciado no Site onde temos nosso nome registrado no MEC como Coordenadoria Geral do Projeto;
  • Temos uma Plataforma Virtual onde o Estudante pode ter 24 horas acesso a (1) apostilhas, (2) livros, (3) vídeo-aulas que chegam a centenas de horas; (4) um encontro mensal onde o Estudante pode fazer “fechamento de conteúdos estruturais”;
  • Todos os Estudantes, individualmente, a qualquer momento do dia podem me contatar sem qualquer custo adicional para tratar de qualquer assunto relacionado com o Curso;
  • Além do que a mensalidade mais baixa do Brasil para uma formação “do tamanho que é a nossa” com 900 horas em 2 anos de REFLEXÃO E CONTEMPLAÇÃO;
  • Resultados já identificados no quinto módulo em pessoas que estão seguindo a metodologia cuidadosamente – como foi testemunhado na sala de aula no último encontro;
  • Daí alguém acha que uma profissão inteira pode ser conquistada em 15 dias com a devida maturidade e ser aceita com seriedade sem uma grave denúncia ao Ministério Público? Isto é um absurdo! Um crime contra a saúde pública. A Naturopatia levou mais de 35 anos para conseguir uma Portaria do Ministério da Saúde e de repente existe uma formação de 15 dias? O que o Conselho Nacional de Saúde vai pensar disto?
  • O que pensaria deste tipo de formação “profissional” o Ministério Público Federal ou a Polícia, bem como todas as outras profissões de saúde se este tipo de proposta chegar a qualquer Conselho Estadual?

ATENÇÃO!

Cada pessoa deverá dar conta de si mesma diante de Deus (Romanos 14:12) e diante da Lei Brasileira (Constituição Federal Art. 5º, Inciso II).

Não sou responsável por decisões de ninguém, somente pelas minhas – mas não posso ver uma coisa destas e simplesmente fazer de conta que não vi, porque senão me torno conivente e amanhã, quando isto der problema na Justiça, terei a meu favor que divulguei amplamente meu repúdio a este tipo de proposta.

Repito: uma coisa é uma vivência, uma experiência, um encontro de aperfeiçoamento ou mesmo uma manifestação de uma expertise de um profissional como num workshop – OUTRA COISA É UMA FORMAÇÃO PARA QUE O SUJEITO ABRA UM CONSULTÓRIO.

Quem quiser se envolver com isto “cursos-camelôs” ou “pseudo-formacional” tem total liberdade Constitucional para fazê-lo – mas, antes de se meter numa coisa destas, peço o cuidado de que leia meu Artigo publicado sobre o enorme perigo BASEADO NAS LEIS DA REPÚBLICA em usar a palavra MEDICINA ilegalmente sob qualquer pretexto e que pode ser acessado aqui:

(ARTIGO) Por Que Não Se Pode Usar o Termo Medicina de Forma Indevida no Brasil?

Todos temos que ter a capacidade de entender que uma CARREIRA PROFISSIONAL envolve um PLANEJAMENTO que envolva 4 aspectos:

  • Tempo de Preparação (a época do Curso de 2 anos);
  • Planejamento na Preparação para o trabalho no Mercado (também no período do Curso);
  • Estando no Mercado será preciso “aperfeiçoamentos” permanentes em diversos sentidos (isto se obtém em conexões diversas, entre elas a da Agonab);
  • A visão permanente em torno de oportunidades – que surgirão no tempo certo, sem ansiedade e com um trabalho bem consolidado.

O primeiro período, que é AGORA, deve ser dedicado a estudar as apostilhas, ler os livros, assistir as vídeo-aulas e cumprir um tempo de preparação. Permitam-me usar o exemplo do Apóstolo Paulo! O testemunho o próprio Paulo ao escrever aos Gálatas é de que após seu chamado por Jesus Cristo no caminho para Damasco e da cura de sua cegueira naquela mesma cidade, ele se foi por 3 anos para a Arábia e só depois deste período retornou a Damasco (capital da Síria) – ver em Gálatas 1:13-20. Ele teve um tempo de preparação, de interiorização, de reflexão, de estudos – para depois se lançar numa obra que influenciou o Mundo.

O segundo momento, diz respeito ao tipo de “foco” que cada um vai colocar diante de si. E vou usar-me como exemplo. Eu resido em Gravatá (PE). Estou iniciando uma jornada de 2 anos em Maceió (AL), por conta da nossa Turma que está estudando. Isto significa que em cerca de uns 10 dias (no início de Agosto), eu estarei praticamente “toda semana” em Maceió, estabelecendo uma base do meu Consultório e uma série de dinâmicas palestras em diversos ambientes. Isto está no planejamento que tracei desde que iniciei esta jornada. Foi planejado por mim com cuidado, de acordo com as possibilidades. Hoje os alunos não devem se ocupar com este tipo de planejamento, mas nos últimos 6 meses do Curso sim e estarei próximo para ajudar a abrir caminhos – embora Workshops devam já ser realizados por mitos em diversos cenários.

O terceiro momento é aquele em que você está no mercado e, trabalhando, se organiza para fazer cursos inovadores, por exemplo: (1) quiropraxia, (2) iridologia, (3) psicanálise clínica, (4) ou partir para alguma coisa mais longa como Nutrição, Fisioterapia, etc. Mas, isto sem perder de vista alguns cursos avançados como Especializações, Mestrado, Doutorado, etc. conforme as possibilidades técnicas.

O último momento é quando se busca viver como temos ensinado em nossos Encontros: “procureis viver quietos” (1ª Tessalonicenses 4:11-12), “em família” (Eclesiastes 9:6-9; 1ª Timóteo 5:8) – sem criar complicações desnecessárias, porque nossa carreira tem como PRIORIDADE ATENDER AS PESSOAS COMO SANTUÁRIOS (1ª Coríntios 3:16-17) – e nisto está a sabedoria da vida e da carreira.

Prof. Dr. Jean Alves Cabral

Presidente da Agonab (www.agonab.com.br)

1º Suplente da Presidência Nacional do Sinaten (www.sinaten.com.br)

Naturologista Clínico de carreira (www.professorjean.com)

Coordenador Geral do Curso de Naturologia Clínica (www.naturologiaclinica.org)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *